30/11/2017

Ler e Pensar premia professores do Concurso Cultural 2017

Professores e parceiros de diferentes municípios do Estado vieram para Curitiba na manhã de hoje (30) presenciar a cerimônia de premiação do Concurso Cultural Ler e Pensar 2017. Desde 1999 a iniciativa valoriza e estimula práticas pedagógicas que utilizam o jornal em suas diferentes plataformas na formação de leitores críticos e cidadãos conscientes. E justamente […]

Professores e parceiros de diferentes municípios do Estado vieram para Curitiba na manhã de hoje (30) presenciar a cerimônia de premiação do Concurso Cultural Ler e Pensar 2017. Desde 1999 a iniciativa valoriza e estimula práticas pedagógicas que utilizam o jornal em suas diferentes plataformas na formação de leitores críticos e cidadãos conscientes.

E justamente no ano em que o Ler e Pensar atingiu sua maioridade, o projeto assumiu um novo desafio: tornar-se digital. Dessa maneira, a edição de 2017 também contou com alguns diferenciais na entrega dos trabalhos, com recursos que estimulam a originalidade, a criatividade e, principalmente, a conexão ao envolver diferentes tipos de plataformas, já que todos os trabalhos foram postados ou hospedados em algum site e/ou rede social.

“É um prazer enorme reconhecer e valorizar as iniciativas de professores que atuam com o Ler e Pensar. A cada ano me surpreendo com a criatividade de professores para inovar, exemplo disso foram os desafios com as mudanças no Concurso Cultural, lançando o edital mais difícil dos últimos tempos”, parabenizou a diretora da Unidade Gazeta do Povo Jornais, Ana Amélia Cunha Pereira Filizola.

Ana Amélia Cunha Pereira Filizola , diretora da Unidade Gazeta do Povo Jornais, parabenizou os professores pelo edital mais difícil já lançado no Concurso Cultural

A diretora da Gazeta do Povo contou ainda que o jornal ousou ao lançar novas editorias, aprimorou os aplicativos de leitura em todas as plataformas, principalmente na digital, “e é incrível notar que essa mudança tem sido acompanhada pelos professores do Projeto Ler e Pensar por meio da capacitação de equipe e criação de novas funções tecnológicas”, completou.

Assim também afirmou o diretor de redação da Gazeta do Povo, Leonardo Mendes Junior, quando comparou os objetivos do projeto e do jornal. “O Ler e Pensar é um projeto que a Gazeta e o Grupo todo têm um grande carinho, pois representa o motivo desse trabalho jornalístico. Tudo que a gente noticia visa contribuir para a sociedade e o Ler e Pensar permite essa conexão”, afirmou.

Leonardo Mendes Junior, diretor de redação da Gazeta do Povo, apresentou exemplos de notícias que transformaram a realidade da comunidade

Essa mudança digital envolveu também as secretarias de educação que participam do projeto. Maria Silvia Bacila Winkeler, Secretária Municipal da Educação de Curitiba, revelou a satisfação em manter essa parceria desde a primeira edição. “Acompanho de perto as mudanças do projeto e, com elas, as possibilidades que se abrem para os estudantes em termos de leitura e de ações relacionadas ao gênero notícia. Desejo que possamos continuar essa parceria para um mundo mais conectado”, declarou.

Premiação

Os trabalhos foram divididos em três categorias: Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio. Os professores responsáveis pelas práticas pedagógicas vencedoras, em cada categoria, receberam troféu e um notebook. E este ano, a grande novidade foi o Grand Prix (vencedor master), trabalho que obteve maior pontuação e ganhou destaque extra. Essa prática pedagógica recebeu também um troféu e uma lousa digital.

Após a revelação dos ganhadores, cada professor pode explicar seu projeto e as ações dos estudantes a partir das propostas pedagógicas. A professora Expedita Estevão da Silva, da Escola Municipal Augusto Staben, de Campina Grande do Sul, Grand Prix da edição e aplaudida em pé pelos convidados, admitiu que tem bastante familiaridade com o jornal digital, pois desde 2009 leva notícias da internet para discussões em sala de aula. “As discussões aconteciam no Laboratório de Informática e esse prêmio é resultado de uma prática que vem sendo trabalhada dia após dia com as mudanças digitais” garantiu.

A professora Expedita Estevão da Silva, Grand Prix da edição foi aplaudida em pé

 

Outra curiosidade dentre os vencedores foi do professor Marcos Antonio Morello, do Colégio Estadual São Cristovão, de São José Dos Pinhais, que revelou ter trabalhado o jornal digital em mais de uma escola. “Tive que escolher apenas uma escola para a inscrição do Concurso, no entanto o impacto da notícia e de mudança foi muito maior ao pensar que trabalhei a temática de meio ambiente em mais de uma escola” contou orgulhoso.

A conexão entre jornal e escola foi ainda maior pelo professor Marcos Antonio Morello, que trabalhou o jornal digital em mais de uma escola

 

Uma das vencedoras, a professora Simone Nogueira de Lima, da Escola Municipal Michel Khury, de Curitiba, revelou ao subir ao palco que inscreveu o trabalho no Concurso nos últimos dias. “Eu não ia enviar a prática, pois quando vi pensei: ‘não consigo’. Mas, de ultima hora pensei que não era um bicho de sete cabeças. Fui atrás das meninas [do Ler e Pensar], que me mandaram material. Corri atrás de todo mundo que podia me ajudar na escola. Minha filha me ajudou em casa. E estamos aqui”, contou declarando que o prêmio era dedicado aos alunos, pois este é o papel do professor, o de gerar transformação.

Emoção para a professora Simone Nogueira de Lima, uma das vencedoras da edição

 

 

Vencedores:

Grand Prix Expedita Estevão Da Silva, da Escola Municipal Augusto Staben, de Campina Grande do Sul

Carlo Vicente Ramirez, do Colégio Estadual Professor Algacyr Munhoz Maeder, de Curitiba

Flavia Renata Chaves Da Silva, do Centro de Educação Integral do Expedicionário, de Curitiba

Marcos Antonio Morello, do Colégio Estadual São Cristovão, de São José dos Pinhais

Simone Nogueira De Lima, da Escola Municipal Michel Khury, de Curitiba

 

Vencedores do Concurso Cultural 2017 e Secretaria de Educação