20/05/2013

Serviços e Cidadania movimenta regiões norte e noroeste do Paraná

Entre os dias 14 e 17, o projeto foi apresentado nas cidades de Maringá, Paranavaí, Cianorte e Umuarama. Em Londrina, uma palestra sobre estratégias de comunicação animou representantes de ONGs da região.

A articulação promovida pelo Instituto GRPCOM nas cidades das regiões norte e noroeste do Paraná, durante toda a semana passada, entre os dias 14 e 17 de maio, promete gerar grandes resultados. A apresentação do projeto, feita nas cidades de Maringá, Paranavaí, Cianorte e Umuarama, mobilizou um número expressivo de ONGs e diversos parceiros – empresas e instituições de ensino que possam oferecer serviços gratuitos na área de gestão e comunicação.

Em Maringá, no dia 15, aproximadamente 70 pessoas prestigiaram o café da manhã oferecido no salão do Hotel Golden Ingá, no centro da cidade. Em Paranavaí, o evento de lançamento do projeto aconteceu na manhã do dia 16, no Hotel Shelton, e reuniu mais de 50 pessoas. No mesmo dia, em Cianorte, um café da tarde levou mais de 30 representantes de ONGs e potenciais parceiros à sede da OAB local. E na sexta-feira de manhã, também na OAB, mas em Umuarama, outras 30 pessoas prestigiaram o evento de lançamento do Serviços e Cidadania na cidade.

Além dos elogios ao projeto, tanto da parte da ONG quanto dos potenciais parceiros, a equipe do Instituto GRPCOM recebeu também a garantia de adesões efetivas, a partir do cadastro no site www.servicosecidadania.org.br. Todos os eventos tiveram o apoio da RPC TV local.

  

Capacitação

Em Londrina, no dia 14, a noite não foi de apresentação do projeto, mas sim, de capacitação para as ONGs já cadastradas – por lá, afinal, o Serviços e Cidadania já funciona desde 2011. Mais de 40 pessoas participaram da palestra ministrada por Patrícia Hemerly, publicitária e presidente da Associação dos Profissionais de Propaganda de Londrina e fundadora da Egg Comunicação, parceira local do projeto.

Patrícia apresentou formas viáveis de se pensar a comunicação sem grandes custos, bem como as formas de persuasão nas quais às entidades e empresas se baseiam para “vender” suas ideias, serviços e causas. “Antes de comunicar, é preciso se posicionar”, resumiu Patrícia. 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.