26/07/2010

Pesquisadores transformam amido de mandioca em sacolas plásticas e bandejinhas

A receita leva 60% de polvilho doce, poliester e glicerol. O novo plástico se decompõe mais fácil na natureza, em torno de seis meses, enquanto que o convencional pode demorar até cem anos.

Nos laboratórios da Universidade Estadual de Londrina, o amido de mandioca rende um plástico que se decompõe em menos tempo na natureza. O material é feito de uma mistura que tem em sua composição polvilho doce, poliéster e glicerol.
 
O amido da mandioca é também utilizado para a produção de pequenas bandejas, embalagens ambientalmente mais corretas que podem ser usadas para substituir aquelas de isopor, muito comuns nos supermercados, na seção de alimentos.
 
A reportagem de Wilson Kirsche, em Londrina, foi ao ar no Jornal Hoje, da TV Globo, do último dia 23/07. Confira aqui.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.