27/05/2010

Paraná é o segundo estado que mais desmata a Mata Atlântica

Dados apresentados ontem mostram que o desmatamento, antes registrado no interior do estado, migrou para a região metropolitana de Curitiba

Uma pesquisa divulgada ontem pela SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) revelou a área desflorestada em nove estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste entre 2008 e 2010: 20.867 hectares de floresta nativa, o equivalente a metade da cidade de Curitiba.
 
No Paraná, estado que segundo a pesquisa só perde para Minas Gerais em área desmatada naquele período, o problema está na região metropolitana de Curitiba: das dez cidades paranaenses com maior área desflorestada, mais da metade estão na RMC. Porque a topografia da região desfavorece a agricultura, os locais de relevo menos acidentado são logo desmatados para o cultivo. Além disso, a pressão econômica para o plantio de pinus e eucalipto também ajuda a manter a derrubada.
 
A divulgação do resultado da pesquisa na véspera do Dia da Mata Atlântica (celebrado hoje, 27 de maio), também acontece em meio às discussões no Congresso em relação ao novo Código Florestal. O presidente da Câmara, Michel Temer, se comprometeu a colocar o novo código florestal em votação no plenário da Câmara Federal tão logo o projeto seja aprovado na Comissão Especial criada para debatê-lo. O Código atual, em vigor desde 1965, nunca foi respeitado, ora por pressão dos agricultores, ora pela ineficiência da fiscalização.
 
A reportagem de Aniela Almeida, publicada hoje na Gazeta do Povo, informa mais detalhes sobre a pesquisa do INPE e da SOS Mata Atlântica. Confira também o editorial "Os dilemas do Código Florestal", publicado em 20/03/2010 pelo jornal.