25/08/2010

Palestra sobre sustentabilidade discute ferramentas de gestão para ONGs

Evento promovido pelo IRPC em parceria com o CASEM da Associação Comercial do Paraná e a empresa Civitas reuniu mais de 60 pessoas

 
O Instituto RPC promoveu na noite de ontem uma palestra sobre sustentabilidade para as organizações do Terceiro Setor. O tema foi apresentado pelo consultor Juvenal Correia, diretor-presidente da Civitas Responsabilidade Social, empresa parceira do IRPC no projeto Serviços e Cidadania. Mais de 60 pessoas – em sua maioria representantes de entidades sociais paranaenses – participaram do evento, que aconteceu no auditório cedido pela Associação Comercial do Paraná, por meio do Conselho de Ação para Sustentabilidade Empresarial (CASEM).
 
Falando para um público bastante heterogêneo, o palestrante Juvenal Correia procurou contextualizar a realidade atual do Terceiro Setor, comparando com as motivações que levavam as pessoas a se engajar em causas sociais no passado. “Voluntariado vem de vontade e vontade a gente sabe que é importante, mas passa. Se antes era fundamental a boa vontade das pessoas, hoje a competência essencial no Terceiro Setor é contar com profissionais capacitados a oferecer boas soluções – e não só com voluntários”, disse Juvenal.
 
Neste sentido, um planejamento estratégico é fundamental. O consultor falou de trabalhos que realizou com entidades que eram pequenas e que, a partir de um bom planejamento, conseguiram se desenvolver e atingir a auto-sustentabilidade – o melhor exemplo é da Associação Franciscana de Educação ao Cidadão Especial (AFECE), de Curitiba, que hoje se transformou em referência para outras organizações paranaenses.
 
Ainda, Juvenal Correia deu ênfase à visão de que, hoje, para ser sustentável, as organizações não podem pensar apenas na questão financeira. É o chamado Triple Bottom Line, ou o tripé da sustentabilidade, que deve abranger também os aspectos sociais e ambientais, além do econômico. “Vocês sabem para onde vai o esgoto da sua entidade? Todos os voluntários assinaram termos de adesão? – Há que se precaver em relação a possíveis multas e autuações. Se uma empresa fecha por questões trabalhistas, quanto mais uma ONG”, alertou Juvenal.
 
Ao final, os participantes foram convidados para um curso de planejamento estratégico, promovido pelo IRPC e coordenado pelo próprio Juvenal, que deve acontecer ainda este ano. A ideia é oferecer planejamento em conjunto para representantes de até 20 das entidades sociais que tiverem com o seu cadastro completo no projeto Serviços e Cidadania. Mais informações sobre o curso deverão ser divulgadas em breve.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.