06/04/2011

Matemática em notícias

Ler e Pensar – Duas professoras decidiram acabar com o tabu da ‘disciplina dif

Quem achava que o Ler e Pensar era um projeto apenas de Língua Portuguesa, não pode deixar de ler o desafio lançado pelas professoras Andrea Leandro Guimarães Binhara e Sandra de Paula Faria, da Escola Municipal Colombo, de Curitiba, que extrapolaram com louvor, os métodos tradicionais de aplicação da matemática em sala de aula.

Elas perceberam que era necessário jogar um novo olhar sobre os modelos pedagógicos empregados, de modo a despertar o interesse do aluno e atingir resultados efetivos. “A grande parte do conteúdo ainda é tratada de modo totalmente desligado do dia a dia do estudante, e isso é que traz problemas sérios na aprendizagem”, afirma a professora Sandra. Foi aí que elas descobriram que o jornal é um dos meios mais apropriados superar esse obstáculo, já que auxilia a aprendizagem das linguagens necessárias ao desenvolvimento cognitivo e social.

O projeto então tomou forma rapidamente, e a equipe pedagógica decidiu colocá-lo em prática com as turmas do 4º ano. Em primeiro lugar, foi feito um trabalho de pesquisa de matérias da Gazeta do Povo ligadas a situações matemáticas, como a previsão do tempo, economia e estimativas. Essa atividade permitiu o conhecimento da estrutura e da função do jornal. As professoras garantem: “Ao manusear e investigar os cadernos, o aluno constrói e apropria-se de novos conceitos de maneira mais autônoma e marcante”.
 
Números e imagens
Outra etapa importante do projeto foi o que a equipe pedagógica chamou de registro pictórico. Aqui, com subsídio do conteúdo visual do jornal — ilustrações, fotos e gráficos —, os alunos foram levados a interpretar os códigos visuais, identificando problemas matemáticos. Em seguida as crianças produziram individualmente seus desenhos. A utilização de imagens no aprendizado também é fundamental, pois estimula o interesse daqueles que preferem se comunicar pela ilustração, valorizando suas ideias, vontades e sentimentos individuais. “Associar matemática e mídia traz resultados profundos na formação do educando: viabiliza a resolução de problemas do dia a dia, estimula o raciocínio lógico, a criatividade, a capacidade de análise e reflexão, o senso de organização, a ampliação da curiosidade e confiança, instrumentalizando o indivíduo para participar ativamente na sociedade”, confirma a diretora da escola, Lana Maria Rodrigues Lima de Saci.
 
Resultados
Ao final das atividades, a turma produziu dois materiais de apoio: o Jornal da Turma e o Dicionário Matemático. “Uma vez que o aluno compreende um conceito, melhor ele pode se expressar sobre ele. O fato dos alunos criarem materiais de nível elevado só comprovou o nível de compreensão sobre os temas”, conclui Sandra.
 
O jornal mais uma vez trouxe benefícios em sala. Sua utilização criou um ambiente onde o aluno pôde se expressar, interagir, pesquisar, ler, falar, escolher, analisar e produzir matemática. Além disso, desenvolveu a capacidade de interpretação de textos jornalísticos e de desafios lógicos através de diferentes estratégias.
 
* Esta notícia foi publicada na edição nº 155 do Boletim de Leitura Orientada (BOLO), jornal quinzenal com sugestões para o uso pedagógico do jornal, direcionado aos professores participantes do projeto Ler e Pensar.
 
 

 
 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.