14/06/2010

Marque um gol, erradique o trabalho infantil

Enquanto acontece a Copa do Mundo de Futebol na África, a OIT comemorou o Dia mundial contra o trabalho infantil (12/06) com um apelo para marcar um gol e erradicar as piores formas de trabalho infantil até 2016.

GENEBRA (Notícias da OIT) – Segundo o diretor-geral da OIT, Juan Somavia, "Ao mesmo tempo em que milhões de pessoas apreciam a Copa Mundial de Futebol, existem cerca de 215 milhões de crianças que devem trabalhar para sobreviver. A educação e os jogos são luxos para elas. O avanço na diminuição do trabalho infantil está mais lento e ficou mais difícil o caminho para erradicar as piores formas em 2016. Necessitamos recuperar a velocidade. Tomara que o campeonato mundial sirva de inspiração e possamos enfrentar este desafio com a energia, as políticas e o compromisso que são requeridos para atingir as metas”.
 
Para celebrar o Dia Mundial foram realizadas iniciativas em mais de 60 países com a participação de governos, empregadores e trabalhadores, organismos das Nações Unidas e outras organizações da sociedade civil. Discussões de alto nível sobre políticas, partidas de futebol e outras atividades esportivas, debates públicos, iniciativas dos meios de comunicação, campanhas de conscientização, eventos culturais e outras atividades visam acelerar as ações de combate e erradicação. Muitas iniciativas são dirigidas para a campanha Cartão vermelho ao trabalho infantil, uma iniciativa da OIT que inclui a publicação de um guia de recursos produzida junto com a FIFA para conseguir que o futebol apoie os esforços destinados à erradicação do trabalho infantil.
 
Em Genebra, a Conferência Internacional do Trabalho, realizada em 11 de junho, promoveu uma discussão sobre o novo Relatório Global sobre Trabalho Infantil. O Dia Mundial ocorre um mês depois que mais de 450 delegados, provenientes de 80 países, se reuniram em uma Conferência em Haia, convocada pelos Países Baixos, para aprovar um roteiro que permita avanços mais rápidos no objetivo de eliminar as piores formas de trabalho infantil em 2016.
 
O roteiro identifica uma série de princípios e de ações que podem ser feitas por governos, interlocutores sociais (trabalhadores e empregadores), organizações não-governamentais e outras organizações da sociedade civil no nível regional e internacional. O acordo sobre o roteiro ocorreu logo depois que o terceiro relatório global sobre trabalho infantil advertiu que a campanha mundial contra o problema atravessa uma conjuntura crítica.
 
O relatório mostra que os esforços mundiais para eliminar as piores formas de trabalho infantil estão perdendo força e alerta que, a menos que sejam incrementados, o objetivo de 2016 não será alcançado. Esta meta foi estabelecida em 2006, depois de constatadas as tendências positivas no relatório global anterior, que sugeriam que a eliminação das piores formas de trabalho infantil era possível em 2016.
 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.