31/10/2014

Ler e Pensar promove festa da educação e reúne 4.600 pessoas no Teatro Guaíra

Foram dois dias de eventos, um destinado aos profissionais da educação e outro exclusivo para os estudantes envolvidos no projeto

                                                    

Curitiba foi palco, nesta semana, de uma grande festa da educação promovida pelo projeto Ler e Pensar, da Gazeta do Povo e Instituto GRPCOM. Foram dois dias destinados a homenagens aos profissionais da área educacional e estudantes envolvidos no projeto de incentivo à leitura.

A festa começou na noite de terça-feira (28), no Teatro Guaíra, com a 11ª edição do Seminário de Educação e Leitura. Os mais de 1.300 convidados, entre professores, representantes de Instituições de Ensino Superior (IES), secretarias de educação, parceiros e patrocinadores do projeto, foram recebidos com um discurso emocionado da diretora da Gazeta do Povo, Ana Amélia Filizola. Ela destacou o papel da escola e de seus atores na transformação da sociedade e também citou números que refletem a abrangência do Ler e Pensar na educação do Estado. “São cerca de 500 escolas envolvidas, 3 mil professores e mais de 100 mil alunos impactados”, citou. Ana Amélia também fez um agradecimento especial aos parceiros do Ler e Pensar. “Vocês têm um papel fundamental no sucesso e continuidade do projeto”, disse. A homenagem aos patrocinadores e padrinhos não parou por aí: todos foram convidados a subir no palco para receber um presente especial do projeto.

Os 15 anos de Ler e Pensar, comemorados em 2014, foram lembrados pela gerente do Instituto GRPCOM, Ana Gabriela Simões Borges. A profissional, que acompanha o projeto desde 2002, fez uma retrospectiva e destacou os avanços da iniciativa a cada ano. “O projeto foi se transformando e sempre trazendo novidades: uma hora era o Boletim de Leitura Orientada de cara nova, em outra, cursos inéditos entravam na plataforma de educação a distância. Em outro ano, lá estava o Ler e Pensar nas redes sociais”, citou. Ana Gabriela também falou das premiações recebidas nos últimos anos e ‘quebrou’ o protocolo chamando ao palco todos os profissionais envolvidos no desenvolvimento do projeto.

Além das homenagens, o ponto alto do evento foi o anúncio dos vencedores do Concurso Cultural Ler e Pensar 2014 das categorias “Práticas Pedagógicas”, “Compromisso” e “Mobilização”, que premiam, respectivamente, professores, secretarias de educação e escolas.

Confira aqui os vencedores

Uma noite de história!
O escritor paranaense Laurentino Gomes, autor dos premiados 1808 e 1822, foi a grande atração da noite. Em um bate-papo descontraído, conduzido pelo jornalista da Gazeta do Povo, José Carlos Fernandes, Laurentino falou sobre a importância do conhecimento da história para a compreensão dos desdobramentos atuais. Ele também destacou o papel dos professores nesse cenário. “Fiquei encantado com o convite para o evento. Acredito que o único modo de compreendermos o presente é olhando para o passado. Só assim podemos conhecer problemas, carências e tudo pode ser transformado pela educação. Professores são verdadeiros agentes de mudança. Valorizá-los e qualificá-los é sempre a decisão mais acertada. Certamente, o Grupo está cumprindo seu dever cívico muitíssimo bem. Como paranaense, me orgulho de participar deste encontro”, destacou.

A vez dos estudantes
Na quarta-feira (29), foi a vez da garotada participar e receber homenagens do projeto Ler e Pensar. Em dois turnos, os mais de 3.200 estudantes lotaram as poltronas do Teatro Guaíra para conferir a peça teatral A gota suja, encenada pelos atores do Teatro Parque da Criança, do ator e diretor Giovanni Cesconetto. Para completar a festa, foram conhecidos os estudantes vencedores do Concurso Cultural nas categorias: "Ilustrador Mirim", "Cartunista Mirim", "Redator Júnior" e "Repórter Teen".

Clique aqui e conheça os alunos vencedores

CONFIRA A EMOÇÃO DOS VENCEDORES DO CONCURSO CULTURAL

“Quando desenvolvemos um trabalho assim a gente sempre cria uma expectativa de receber uma premiação. Fico muito feliz com esse reconhecimento. Eu dedico esse prêmio primeiro a Deus, depois à minha família e, em primeiríssimo lugar, aos meus alunos, porque sem eles eu não estaria aqui”Sonia Maria Alves Domingues, professora da Escola Municipal Paulo Freire, de Curitiba. A professora foi vencedora da categoria “Práticas Pedagógicas” (menção Hors-concours).  

“Eu adorei! Eu amei ganhar esse prêmio! O que eu mais gostei de fazer com o jornal foi o desenho pro concurso. Vou contar pro meu pai primeiro, porque ele é o primeiro que chega na minha casa.”Flávia Alessandra Duda Adão, aluna da Escola Municipal Mirazinha Braga, da Lapa. A aluna foi vencedora da categoria “Ilustrador Mirim”.

“Acredito que nosso diferencial foi montar uma superintendência de projetos. Com isso conseguimos ir mais a fundo, mobilizar, mostrar resultados, benefícios e envolver o maior número de escolas possível. Para 2015, nosso objetivo é mobilizar todas as escolas de Castro, para que aquelas que não participam, comecem a se envolver no projeto Ler e Pensar”Maurem Johnsson Kremer, secretária de educação de Castro. A secretaria foi vencedora da categoria “Compromisso”.

“Fiquei muito realizada pelo reconhecimento do meu trabalho, fiquei bem feliz e me sinto motivada a realizar esse projeto mais vezes” Débora Gabriel Essig de Mattos, professora da Escola Municipal Dr. Linneu Madureira Novaes, de Castro. A professora foi vencedora da categoria “Práticas Pedagógicas”.  

“Sempre participamos do Ler e Pensar, mas é a primeira vez que ganhamos. Atribuímos o prêmio a uma maior mobilização dos professores, alunos e dos pais.  Nesse ano conseguimos ampliar a leitura dos jornais para além das salas de aula, já que os alunos levavam o impresso para casa e faziam a leitura junto da família” –  Tereza Bux, coordenadora pedagógica da Escola Municipal Professor Gunther Urban, de Campo do Tenente. A escola foi vencedora da categoria “Mobilização”.

“Não esperava ganhar, fiquei com vergonha de subir no palco, mas muito feliz. Fiz uma história em quadrinhos, colocando alguns políticos como lobos maus, pois lemos nos jornais em sala de aula como eles roubam hoje em dia” –  Natália Obsuth Mazur, aluna da Escola Municipal Presidente Tancredo de Almeida Neves, de Quatro Barras. A aluna foi vencedora da categoria “Cartunista Mirim”.

Sabia que meu trabalho estava bem legal e que teve um efeito bem bom. Eu trabalho com alunos com deficiência intelectual, então tive resultados muito bons. Mas não vim com aquele pensamento ‘eu vou ganhar, porque eu sabia que as outras professoras também tinham feito trabalhos muito bons. Mas fiquei tão feliz que até chorei! Vanessa Cristiane de Sousa, professora da Escola Municipal Marcos Nicolau Strapassoni, de Campina Grande do Sul. A professora foi vencedora da categoria “Práticas Pedagógicas”.  

“O município da Lapa fez adesão ao Ler e Pensar desde os primeiros anos do projeto, mas é a primeira vez que temos nosso trabalho reconhecido. Acreditamos que foi um processo de construção e que os verdadeiros protagonistas são as escolas e os profissionais que lá estão, pois a adesão é do município, mas se eles não desenvolvessem todo o trabalho, não teríamos esse sucesso. Para 2015, acredito que o prêmio vai motivar mais ainda o trabalho”-  Ana Regina Martins da Silva, secretária da educação da Lapa. A secretaria foi vencedora da categoria “Compromisso”.

“Quis participar do projeto não pela premiação, mas porque achei interessante o tema, tanto que fui desenvolvendo para aprender um pouco mais do gênero jornalístico. Então, não esperava chegar aqui e ganhar”Maria Luiza de Oliveira Bérgamo, aluna do Colégio Sesi Maringá. A aluna foi vencedora da categoria “Repórter Teen”.  

O ‘corredor de notícias’ que fizemos despertou o potencial dos professores e ressaltou o talento dos alunos. Quando viram o resultado do trabalho, ficaram orgulhosos, muito felizes. Muitos, naquele momento, viram que eram mais capazes do que imaginavam. Ano passado ficamos como finalistas e este ano deu certo!” Eliane Maria de Oliveira Andrade, pedagoga da Escola Marcos Nicolau Strapassoni, de Campina Grande do Sul. A escola foi vencedora da categoria “Mobilização”.

“É muito bom ver seu trabalho reconhecido e, principalmente, ver os resultados que as crianças obtiveram em relação à aprendizagem. Esse prêmio é um incentivo para continuar. Estendo esse reconhecimento para minhas duas turmas e agradeço à Gazeta do Povo e ao GRPCOM pela oportunidade que pudemos dar às crianças de terem esse contato com o jornal, pois assim poderão se tornar cidadãos melhores, mais informados, críticos, que reivindicam seus direitos e cumprem seus deveres”Elvira do Rocio Bezerra Geraldo, professora da Escola Municipal Professor Joaquim Tramujas Filho, de Paranaguá. A professora foi vencedora da categoria “Práticas Pedagógicas”.  

 “Essa é a segunda vez que somos reconhecidos pelo trabalho que desenvolvemos, em 2009 também fomos uma secretaria premiada. Acreditamos que essa valorização deve ser atribuída ao esforço e dedicação da equipe de educação da secretaria e por todo o apoio que damos aos projetos que as professoras desenvolvem dentro da escola, como visitas e passeios”Maristela Wendrechovski, secretária da Educação de Piên. A secretaria foi vencedora da categoria “Compromisso”.

“Acho que as pessoas não precisam esperar o governo provocar as mudanças, porque elas podem ser o Governo e a mudança. Meu sonho é ser advogada e depois juíza. Desde os dez anos sei que é isso que quero. Gosto muito de ler e acho que posso ajudar as pessoas com minha profissão”Ana Beatriz Santos de Oliveira, aluna do Colégio Estadual Ângela Sandri Teixeira, de Almirante Tamandaré. A aluna foi vencedora da categoria “Redator Júnior”.  

“Estamos muito felizes! Há anos a escola utiliza jornal no dia a dia dos alunos. São crianças especiais (com deficiência auditiva e visual), bastante curiosas. Nossa equipe se dedica a interpretar as notícias e transferir aquele conhecimento para eles. É gratificante ver o interesse dos alunos, que é cada dia maior. Dedicamos esta conquista a eles”Elaine Lara, professora e supervisora da Escola Rui Valdir Pereira Kern, de Quatro Barras. A escola foi vencedora da categoria “Mobilização”.

“Nós temos ampliado o projeto Ler e Pensar a cada ano e pretendemos a total universalização para que possamos levar aos professores e crianças uma forma diferenciada de trabalho com um instrumento tão importante como o jornal. Em Curitiba ele faz parte de uma política de desenvolvimento. Hoje ele está consolidado na rede municipal e, através disso, as práticas vão se ressignificando. Estamos muito felizes e o que queremos, além da premiação, é a continuidade dessa parceria tão importante com a Gazeta do Povo”Roberlayne Roballo secretária da educação de Curitiba. A secretaria foi vencedora da categoria “Compromisso” (menção Hors-concours).

SAIBA O QUE LEVA EMPRESAS E INSTITUIÇÕES A INVESTIREM NO LER E PENSAR

“Nosso grupo sempre busca estar com a sua marca atrelada a programas desse vulto e dessa importância para a sociedade. Evidente que conta nesse momento o nível de organização do projeto, as pessoas e marcas envolvidas, como o Instituto GRPCOM, bem como os patrocinadores que já acreditam nesse trabalho. E mais do que nunca, investimos por se tratar de um trabalho que desenvolve crianças e que está ligado à educação e ao desenvolvimento de pessoas que farão parte da sociedade em um futuro próximo”José Alberto Moita, presidente da CCR Rodonorte.

“Ver o auditório cheio como vimos hoje motiva a gente. Nos faz acreditar no valor do investimento que fazemos e é a prova de que não precisamos esperar decisões governamentais para fazer a diferença. Nós podemos fazer. Vejo como fundamental a união entre iniciativa privada e outros setores para transformar a educação no país”Murilo Haddad, diretor da Microcamp em Curitiba.

“É um investimento social que tem tudo a ver com a nossa estratégia em que a educação é prioritária” –  Linko Ishibashi, diretora-executiva do Instituto HSBC Solidariedade.

 “Digo até que não é um investimento, mas algo muito justo de nossa parte para a sociedade. A maior prova da evolução desse projeto e de como ele dá certo é o dia de hoje, com esse teatro lotado cheio de professores, escolas secretarias e profissionais envolvidos na educação. Isso nos gratifica muito”Gláucio José Geara, vice-presidente Associação Comercial do Paraná (ACP).

“Faz anos que conhecemos o projeto, mas foi em 2012 que conseguimos fazer o sonho de trabalhar com o Ler e Pensar na escola virar realidade. Hoje já são 280 alunos do 1º ao 9º praticando a leitura do jornal e, a cada dia, notamos o interesse crescente das crianças e dos professores. Em um ano, a adesão [dos docentes] já cresceu bastante e nossa expectativa é que ela só aumente”Irmã Juliana Zamulak diretora Escola Madre Anatólia

CONFIRA ALGUNS DEPOIMENTOS COLHIDOS NOS DOIS DIAS DE EVENTO

“Participar do Seminário é um momento de muita aprendizagem. Espero que possamos levar todo o conhecimento para a sala de aula. Esse é meu objetivo”Karla Dallagassa, professora da Escola Esperança e da Escola Energia Ativa, ambas de Curitiba.

Sempre participei do evento e a cada ano é uma surpresa, uma coisa nova, né! Eu gosto muito de vir.  Não perco nenhum!”Solange do Rocio, professora da Escola Anna Ferreira da Costa, de Campina Grande do Sul.

“É a primeira vez que participo. A expectativa é grande, pois estou aqui para ter ideias e para estimular minha escola a participar mais”Luciana Castilho, professora da Escola Ernesto Milani, de Quatro Barras. 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.