29/05/2014

Ler e Pensar: professora usa criatividade e envolve família na leitura

Alunos da Escola Municipal Leonel de Moura Brizola, de Curitiba, fazem revezamento e levam jornal Gazeta do Povo para casa

Trecho da matéria publicada na edição 205 do Boletim de Leitura Orientada (Bolo), do projeto Ler e Pensar.

Todos os anos, novos professores entram no Ler e Pensar e encontram pela frente o desafio de inserir o jornal na rotina dos alunos e despertar o interesse pelo novo recurso. Por isso, é sempre bom conhecer experiências de outros professores para ter mais inspiração. Hoje trazemos as dicas da professora Nara Jaeger Larsen (foto), da Escola Municipal Governador Leonel de Moura Brizola, de Curitiba. Pós-graduada em Psicopedagogia, ela resolveu usar a criatividade e envolver as famílias na leitura do jornal e interpretação das notícias. A experiência começou em 2013 com o 1º ano e, como deu certo, está sendo aplicada atualmente para sua turma do 2º ano.

Leitura em casa
O primeiro passo foi a apresentação básica do jornal e como manuseá-lo. A ideia era prepará-los para a fase da leitura que seria feita em casa. Como a escola onde Nara leciona recebe a
Gazeta do Povo diariamente, graças ao patrocinador Instituto HSBC Solidariedade, foi possível que os alunos se revezassem para que cada dia o jornal fosse para a casa de um deles. Nara também preparou os pais. Chamou-os para uma reunião, falou sobre o Ler e Pensar e explicou como seria a participação da família na atividade. “A reação foi bem positiva. No decorrer do ano, percebemos o real envolvimento”, destaca Nara.

A atividade funciona da seguinte forma: o aluno leva o jornal do dia para casa em uma maleta personalizada e um caderno, para fazer o relato da notícia escolhida para a leitura. Uma carta de orientação aos pais acompanha os materiais. Nela, está um roteiro básico das etapas a serem seguidas, inclusive os itens que não podem faltar no relato, como: quem participou da leitura, do que tratava a notícia, onde aconteceu, quem foram os envolvidos e o que achou do assunto. Para trazer mais ludismo, a professora criou um boneco de pano do mascote do Ler e Pensar, o Gazetito. O “Companheiro da Leitura”, como é chamado, vai junto na maleta. No dia seguinte, a criança apresenta para a turma a notícia lida e a professora aproveita para abordar outras áreas do conhecimento. “Se a notícia menciona uma região específica, por exemplo, aproveito para mostrar o mapa e trabalhar Geografia”, conta.

Resultados
Crianças desinibidas, melhor oralidade, aumento significativo do vocabulário, concentração e calma são alguns resultados observados. Nara também destaca o nível de questionamento dos alunos, como sobre analfabetismo. “Eles se assustaram e questionaram como ainda existiam adultos que não sabem ler se eles, crianças, estavam aprendendo”, lembra. Os pais também estão mais envolvidos com a escola; inclusive, aqueles que eram ausentes começaram a participar mais. “Estamos em um bairro da periferia da cidade e muitos pais não têm acesso ao jornal impresso. Em geral, a única fonte de informação é a TV”, comenta a vice-diretora da escola Patrícia Woellner de Souza. Ela diz que pelos relatos nos cadernos é possível perceber pequenos sinais de criticidade da família em relação às notícias. 

 

Curta a fanpage do projeto Ler e Pensar

Conheça o Instituto GRPCOM

Curta o Instituto GRPCOM

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.