17/03/2016

Ler e Pensar é aprovado para captar pela Lei Rouanet

A captação tem como objetivo a publicação de um livro que reúne trabalhos desenvolvidos por alunos de escolas participantes do projeto

Neste mês de março, o Ministério da Cultura autorizou o projeto Ler e Pensar a realizar captações de recursos para ampliar suas ações voltadas a crianças e adolescentes no Paraná. A aprovação tem como base a lei federal de número 8.313/1991, conhecida como Lei Rouanet.

A captação tem como objetivo a publicação de um livro que reúne trabalhos desenvolvidos por alunos de escolas participantes do projeto. Os recursos também serão direcionados para o desenvolvimento de oficinas de arte e cultura para os estudantes. A obra vai apresentar as produções de destaque, além das atividades realizadas durante o ano, mostrando a importância do projeto para a formação da comunidade escolar. Os trabalhos selecionados serão premiados em um evento que contará com um espetáculo de artes cênicas para o público infantojuvenil.

Para a coordenadora do Ler e Pensar, Fernanda Cotrim, a aprovação pela Lei Rouanet indica a relevância do projeto para a formação cultural das crianças em nosso estado. “Outro benefício é que agora facilita o envolvimento de empresas em projetos de responsabilidade social”, reforça.

Artigo 18

Segundo o MinC, os projetos avaliados podem ser enquadrados no artigo 18 ou artigo 26 da lei. Quando o projeto é aprovado no 18 – caso do Ler e Pensar –, o patrocinador pode deduzir 100% do valor investido, desde que respeitado o limite de 4% do imposto devido para pessoa jurídica e 6% para pessoa física.

Reconhecimento internacional

O Ler e Pensar é desenvolvido pelo Instituto GRPCOM desde 1999 em parceria com a Gazeta do Povo. Exemplo de um projeto bem-sucedido, está presente em 60 municípios paranaenses, beneficiando mais de 2.819 mil professores e 98.665 alunos. Graças aos 14 padrinhos sociais e 5 escolas investidoras, os professores recebam diariamente os jornais nas escolas. O projeto também oferece assessoria pedagógica aos educadores participantes, por meio de programa de formação continuada com certificação, atividades pedagógicas, eventos culturais e materiais didáticos.

Por suas atividades diversificadas, relevância de resultados e tantos casos de sucesso, já foi reconhecido com premiações nacionais e internacionais. Em 2011, conquistou o Prêmio Mundial de Jovens Leitores, organizado pela Associação Mundial de Jornais (WAN), na categoria Newspaper in Education. Concorrendo com mais de 80 trabalhos de diferentes países, foi o primeiro programa brasileiro a ser premiado nessa categoria. No mesmo ano, o Prêmio VIVALEITURA também concedeu ao projeto a Menção Honrosa nacional José Mindlin. Em 2014 foi premiado mais uma vez internacionalmente pela Associação Mundial de Jornais (WAN-INFRA), no Prêmio Mundial Jovens Leitores na categoria Enduring excellence. Também foi reconhecido pelo Prêmio Imprensa por um Paraná Melhor, pela Associação Paranaense de Imprensa. Em 2015, ocupou 2º lugar na categoria Best Public Relations or Community Service Campaign, INMA Awards 2015, promovido pela International News Media Association.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.