11/06/2010

IRPC apresenta Projeto Serviços e Cidadania para as ONGs

Evento reuniu 35 representantes de entidades sociais que atuam em Curitiba e Região

 
O Instituto RPC realizou na manhã de hoje (11) um café da manhã para apresentar o canal Serviços e Cidadania às entidades sociais de Curitiba e Região. Representantes de 35 organizações não-governamentais sem fins lucrativos que mostraram interesse em participar do projeto estiveram presentes na reunião.
 
Após o café da manhã, a diretora do IRPC, Clarice López de Alda deu início a apresentação. Ela falou das motivações para a criação do Serviços e Cidadania e a relação da iniciativa com a missão do grupo RPC, “promover, com a comunicação, o desenvolvimento da nossa terra e da nossa gente”. Clarice falou resumidamente da proposta e, ao final, conclamou: “Queremos ser usados por vocês”. A gestão é viabilizada por uma plataforma online, lançada na última semana de maio. Detalhes do sistema foram apresentados por Aline Gonçalves e Rafael Finatti, responsáveis pela execução do projeto.
 
Servilio de Sousa, presidente do Instituto Legionário São Judas Tadeu (ILSJT), demonstrou interesse em colaborar. “Estou muito contente com a iniciativa. Não podemos ficar esperando ajuda do poder público. Precisamos assumir nossa condição de Terceiro Poder e agir juntos para mudar essa realidade. Aqui mesmo, na região sul do Brasil, há alguns lugares que têm indicadores parecidos com os de países como a Etiópia e a Namíbia”, declarou. Sonia Maria Siqueia, do Instituto Setti, parabenizou: “O projeto é uma bela iniciativa, o Instituto RPC está de parabéns”.
 
Através de parcerias do IRPC com instituições de ensino superior, empresas, associações representativas de classe e profissionais liberais, são disponibilizados serviços gratuitos de assessoria em gestão e comunicação para organizações sem fins lucrativos que promovam a inclusão social e a cidadania. Além disso, o projeto oferece também conteúdos direcionados às áreas de gestão e comunicação no terceiro setor, um espaço para publicação de classificados e também agenda de eventos e cursos.
 
Ao final do evento, Helio Cadore, presidente do Conselho Deliberativo da Associação SERPIÁ, sugeriu, “Quem sabe o Instituto poderia colocar também em sua agenda, quem sabe para 2011, algo sobre o desenvolvimento de indicadores, para que possamos avaliar os resultados dos projetos sociais”. Para Sevílio, da ILSJT, há outra necessidade, “Devemos também pressionar o Ministério Público a atuar de forma mais efetiva junto às ONGs, para que possam impedir certas pessoas de criar instrumentos que não visam o social, mas que só buscam o enriquecimento ilícito”, complementou. Pontos que podem ser pauta para um próximo projeto.

 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.