03/06/2016

IGRPCOM na Semana de Ação Mundial 2016

Instituto GRPCOM participa como mobilizador em articulação que reúne centenas de movimentos e organizações da sociedade civil brasileira, como a Fundação Abrinq, Fundação Maria Cecília Souto Vidigal e Instituto Natura

Durante toda esta última semana, entre os dias 30 de maio e 03 de junho, a educação foi pauta das principais discussões envolvendo não somente o poder público, mas também a sociedade civil. É a Semana de Ação Mundial 2016, realizada no Brasil pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação e que, desde 2003, visa pressionar o poder público pelo cumprimento de tratados internacionais firmados em fóruns e congressos mundiais. A iniciativa acontece simultaneamente em mais de 100 países. O tema este ano é o financiamento da educação e o acordo a ser cumprido é o Marco de Ação de Educação 2030, estipulado pela Unesco e assinado pelo Brasil em 2015.

                                           

Realizador de iniciativas educacionais como o Televisando e o Ler e Pensar, o Instituto GRPCOM não poderia ficar fora dessa conversa! Por isso, além de contribuir com seus projetos para estimulação da leitura e da criticidade nas escolas paranaenses, o IGRPCOM aproveitou a mobilização, que conta com o apoio de instituições como a UNICEF, UNESCO, ONG Visão Mundial e Fundação Abrinq, para estender o debate e consultar as Secretarias Municipais de Educação sobre como têm trabalhado a temática em questão. O intuito é extrapolar o período da Semana de Ação Mundial e dar destaque a estas ações, através das redes sociais e site do IGRPCOM, bem como conduzir rodas de conversa acerca do atual panorama em que se encontram as escolas, os municípios e as propostas pensadas para o futuro de nossas crianças e jovens.

                                                   

Um exemplo destas parcerias é o trabalho desenvolvido em Quatro Barras. O Projeto Volta ao Mundo, realizado nas escolas da cidade, faz uma ponte com o tema deste ano dos projetos de educomunicação do Instituto: “Nossa Terra, Nossa Gente”. Segundo a coordenadora de projetos da SME, Jucele Andreatta, “…dentro deste trabalho segue uma proposta de pesquisa com a comunidade acerca da história do município e dos povos que aqui chegaram. Os professores incentivam os alunos e os pais a buscarem reportagens na Gazeta do Povo que se relacionem com a nossa proposta”, afirma.