19/07/2013

IGRPCOM capacita jovens para trabalhar no Terceiro Setor

Trabalhos apresentados nesta terça-feira (16) fecharam com chave de ouro o curso promovido pela equipe do projeto Serviços e Cidadania

Terminou na última terça-feira (16) a primeira edição do curso Práticas do Terceiro Setor, promovido pela equipe do projeto Serviços e Cidadania, do Instituto GRPCOM. Com o objetivo de dar ferramentas a estudantes e recém-formados para que atuem em entidades sociais, o curso ofereceu entre maio e julho um total de 40 horas/aula para duas turmas – uma pela manhã e outra no período da tarde. As aulas aconteceram majoritariamente na própria sede do Instituto GRPCOM, em Curitiba, e contaram com profissionais parceiros do IGRPCOM para apresentar conteúdos específicos, como aspectos jurídicos do terceiro setor, planejamento de comunicação, design thinking e gestão de voluntários (veja no final a relação completa de temas e os parceiros convidados).

“Todas as etapas foram importantes, obtive novas e boas informações”, afirmou a designer Thais Cruz, aluna da turma da tarde. O publicitário Guilherme Dombrowski concorda: “Os pontos principais foram passados com clareza, sem falar que as apresentações foram sempre muito abrangentes, mostrando a importância e complexidade de se trabalhar no 3º setor”.

Além das aulas teóricas, os alunos de cada uma das turmas tiveram contato com uma ONG – Casa de Recuperação Água da Vida (CRAVI), para os alunos da manhã; e Instituto Unidos pela Vida, para os que fizeram o curso no período da tarde – para a qual apresentaram no último dia de aula propostas de serviços que eles mesmos poderiam desenvolver.

“Quero agradecer pela iniciativa do trabalho, penso que ações como esta são de suma importância para o desenvolvimento dos serviços do terceiro setor”, parabenizou Flávio Lemos, fundador e atual coordenador técnico da CRAVI. “O principal ponto positivo do processo é a iniciativa de apoiar as ONGs e dar oportunidade para pessoas recém-formadas desenvolver um trabalho próprio”, enalteceu o coordenador.

Verônica Stasiak, fundadora do Instituto Unidos pela Vida, também ficou muito feliz com o resultado do projeto. “Um sentimento ‘maternal’ esteve muito latente… A alegria que sentimos quando alguém ‘gosta’ de nossos filhos é imensa! Sinto o Instituto como um grande filho, mas sem tê-lo somente sob 'as asas da mãe'. Ouvir dicas e saber como nosso filho é visto também é bom… Obrigada pelo carinho!”, declarou ela, em depoimento dirigido aos estudantes da turma da tarde.

Segunda edição

De acordo com o coordenador do projeto Serviços e Cidadania, Rafael Finatti, o curso Práticas do Terceiro Setor atingiu seus objetivos e por isso provavelmente terá novas edições – mas só a partir de 2014. “Apesar das boas avaliações que já recebemos dos alunos, o curso PTS em 2013 foi um projeto piloto que precisa de uma série de aprimoramentos para ser relançado. Por conta de outros compromissos já agendados para o segundo semestre, isso só será possível a partir do ano que vem”, explicou Finatti.

Independente das próximas edições, para Priscila Bortolozzo, estudante de comunicação institucional (UTFPR) e aluna da turma da manhã do PTS, a iniciativa merece reconhecimento pois “preenche uma lacuna que os cursos de graduação pouco suprem”. “Achei todos os temas bem selecionados e pertinentes à realidade do terceiro setor. Gostei também da interdisciplinaridade: acabamos aprendendo bastante com as outras pessoas. Vale mencionar também que toda a equipe do Instituto foi muito atenciosa”, avaliou.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.