27/07/2011

Gazeta do Povo vence concurso mundial de Jovens Leitores

É a primeira vez que um jornal brasileiro ganha a categoria NIE do Prêmio Mundial de Jovens Leitores

O projeto de leitura e cidadania Ler e Pensar, desenvolvido pela Gazeta do Povo com o apoio do Instituto GRPCOM, é o grande vencedor mundial do prêmio Jovens Leitores, promovido pela Associação Mundial de Jornais e editores de Notícias (WAN). O objetivo é reconhecer o sucesso de iniciativas inovadoras de jornais desenvolvidas nos últimos 24 meses, as melhores e mais efetivas atividades em uma ou mais áreas voltadas a leitores jovens (com menos de 25 anos).
 
O projeto Ler e Pensar venceu o prêmio principal, denominado "News in Education" (Jornal na Educação, na sigla em inglês), voltado a programas de jovens leitores que tenham beneficiado os jornais e a audiência jovem por pelo menos cinco anos. Neste ano, além da categoria principal a Wan também está premiando três categorias especiais: "Conexão com dispositivos móveis"; "Prêmio Natasa de Redação Jornalística" para a iniciativa de parque gráfico destinada a familiarizar os jovens com o mundo da produção de jornais e "NIE Digital”, foi criada para homenagear os educadores que desenvolveu o melhor conjunto de planos de aula que utilizam a versão eletrônica do jornal especialmente onde não há computadores para todos os alunos.
 
Os projetos vencedores – um por categoria – recebem um prêmio de 1 mil euros e a inscrição para o 63º Congresso Internacional de Jornais, que acontece de 12 a 15 de outubro em Viena, na Áustria.
 
Julgamento internacional
 
A escolha do projeto Ler e Pensar como grande vencedor desta 63ª edição do prêmio  internacional World Young Reader (Leitura Jovem Mundial) ocorreu ontem, em Porto Alegre. Reunidos  na redação do jornal Zero Hora, em Porto Alegre, representantes da Associação Mundial de Jornais avaliaram 80 trabalhos de jornais de todos os continentes inscritos no prêmio. Esta é a primeira vez que a WAN escolhe as melhores experiências de jornais voltadas a jovens leitores fora de sua sede, em Paris.
 
O trabalho, que começou às 10h da última sexta-feira, 22, sob a coordenação de Aralynn McMane, diretora do Programa de Desenvolvimento de Leitura Jovem da WAN, encerrou ontem à tarde com o anúncio do projeto Ler e Pensar.  Entre os jurados estão o editor-chefe de Zero Hora, Altair Nobre, a editora de Educação de ZH, Ângela Ravazzolo, e a estudante de Jornalismo Mariana Müller. Com Cristiane Parente, da Associação Nacional de Jornais (ANJ), o grupo de jurados está formado por quatro brasileiros e seis estrangeiros, que deverão avaliar os inscritos até o próximo dia 28.
 
Clique aqui para conferir a reportagem veiculada no Jornal Gazeta do Povo ou clique aqui para ver a nota exibida no telejornal Bom Dia Paraná, na RPCTV.
 
 
Ler e Pensar
 
Desenvolvido pelo jornal Gazeta do Povo desde 1999, o projeto Ler e Pensar já beneficiou mais de 600 mil estudantes, 11 mil professores e 1000 escolas públicas e privadas do Paraná. Com o objetivo de estimular o hábito da leitura de jornais e ajudar a comunidade escolar a compreender a importância da informação no processo de ensino-aprendizagem, o projeto busca a construção do conhecimento e a formação de crianças e jovens para o exercício pleno da cidadania.
 
Ao apresentar o jornal como um recurso pedagógico facilitador e de estímulo à leitura, o projeto se propõe a contribuir com o aprimoramento da expressão oral e escrita, ampliar e dar significado aos conteúdos escolares, estimulando o pensar integral ao mesmo tempo em que desenvolve a reflexão crítica, possibilita a melhor compreensão da realidade e incentiva a atuação efetiva de educadores e educandos no contexto social.
 
A metodologia adotada pelo projeto para alcançar os objetivos propostos, prevê a formação continuada de professores, elaboração e distribuição de materiais didáticos, atividades culturais e educacionais envolvendo estudantes e professores e parcerias com as principais Instituições de Ensino Superior do Paraná.
 
Com isso, ao longo dos onze primeiros anos de desenvolvimento, tem conseguido ajudar a melhorar os índices de leitura, interpretação de textos, qualidade da educação básica e cidadania ativa entre jovens e adolescentes que estudam em escolas públicas e privadas do Paraná. Construído a muitas mãos e consolidado ao longo do tempo, o Ler e Pensar tem seus impactos e a boa avaliação são observados no crescente interesse de adesão por parte de secretarias de educação, professores e universitários que buscam aderir ao projeto, e no reconhecimento externo. Mas, principalmente, nos resultados monitorados e registrados nos processos de ensino-aprendizagem e na melhoria nos níveis de leitura e escrita entre os públicos atendidos (professores e estudantes).
 
O processo de avaliação do projeto permite medir de forma quantitativa e qualitativa os resultados das práticas educacionais e seus impactos. Anualmente, os dados coletados são utilizados para repensar estratégias e iniciativas, retomando metas e indicadores. As avaliações específicas são comparadas aos resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) do Ministério da Educação, balizando a evolução das escolas que adotaram o projeto.
 
Ler e Pensar em números

– 80% dos municípios atendidos elevaram suas notas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) e atribuem esse resultado favorável à participação das escolas no projeto Ler e Pensar;

– 92% dos professores participantes aprovam e reconhecem a proposta, metodologia, importância e resultados do projeto;

– 96% dos professores apontam os principais benefícios do projeto Ler e Pensar são: incentivo à leitura, melhoria na interpretação e produção de textos e compreensão dos conteúdos curriculares, visto que o jornal dá significado ao ensino e à aprendizagem;

– 85% dos professores participantes dizem que o projeto aproxima os conteúdos escolares da realidade do aluno tornando a aprendizagem mais fácil;

– 87% dos professores afirmam que as atividades sugeridas pelo projeto por meio do Boletim de Leitura Orientada impactaram positivamente a comunidade escolar;

– 95% dos professores participantes constataram que o projeto provocou melhorias no desenvolvimento intelectual e comportamental dos alunos;

 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.