08/06/2011

Educação de qualidade requer no mínimo 10% do PIB

Projeto de lei para mudança do Plano Nacional de Educação tem o desafio de aumentar os recursos e melhorar o modelo educacional

 
Em março, cinco mil jovens participaram de uma passeata em Brasília  para reivindicar a destinação para a educação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) e 50% dos recursos do fundo social do pré-sal. Para os estudantes, esses repasses podem ser atingidos até 2020 e devem ser discutidos ainda este ano, já que em 2011 deve ser aprovado um novo Plano Nacional de Educação (PNE).
 
Especialistas também concordam que repassar 7% do PIB para a educação – como prevê o PNE – é insuficiente. O mínimo para se pensar em uma educação de qualidade no Brasil seria 10%.
 
Clique aqui e confira a entrevista sobre o assunto com a presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped), Dalila Andrade.
 
 

 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.