06/12/2010

Curitiba ainda tem problemas para combater as cheias de seus rios

Projeto Águas do Amanhã faz balanço do trabalho da prefeitura com os rios que cortam a capital do Estado.

 
Aos poucos, os rios parecem estar sendo revitalizados em Curitiba. Mesmo sem ter plano de drenagem, em cinco anos a capital paranaense investiu cerca de R$ 90 milhões na prevenção de enchentes. Além disso, foi feita também uma limpeza em cerca de 120 quilômetros de rios e canais de Curitiba, tendo sido retiradas, apenas em 2010, mais de 180 toneladas de lixo dos rios e galerias da cidade.
 
Apesar dos investimentos cada vez maiores, muito ainda precisa ser feito. No Paraná, 26,31% dos municípios sofreram inundações ou enchentes, segundo um estudo realizado em 2000. Oito anos depois, constatou-se que 34,33% das cidades tiveram os mesmos problemas, o que representa um aumento de 30,48%. Entre os 26 municípios da região metropolitana de Curitiba, o índice passou de 61,26% (2000) para 76,92%(2008), um aumento de 25,56%.
 
Por tudo isso, a prefeitura está investindo agora num Plano Diretor de Drenagem, a partir do qual Curitiba terá diretrizes urbanas e ambientais mais claras para estabelecer políticas e obras para conter as inundações. Além da dragagem e limpeza de canais, estão sendo feitas roçadas nas margens dos rios e o lixo está sendo retirado. Outra medida prevista é a construção de novas galerias pluviais: este ano foram 27 quilômetros entregues, para melhorar o escoamento da água das chuvas.
 
As informações são do site do projeto Águas do Amanhã, do Instituto GRPCOM e Lupaluna Ambiental, em parceria com a Universidade Federal do Paraná e a Agência Nacional de Águas, e com o apoio do HSBC.
 
 
 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.