04/04/2011

Calcular o valor dos recursos naturais é melhor caminho para a sustentabilidade

Além de minimizar os impactos ambientais, o processo permite a compatibilização entre benefícios e custos de produtos e serviços

Calcular os danos ambientais de cada decisão de negócio nos balanços contábeis é uma tarefa complexa, já que é difícil estimar em valor monetário os efeitos do corte de uma árvore ou da emissão de gás carbônico. Mas esse processo é importante para demonstrar se a degradação ambiental causada pela empresa é maior que o lucro gerado por um produto ou serviço oferecido.
 
O ousado desafio de internalizar no balanço contábil o custo ambiental foi lançado pela corporação norte-americana Dow Chemical, que com o auxílio da organização não-governamental The Nature Conservancy, irá calcular os impactos ambientais de cada decisão. A prática, chamada de valoração ambiental, apresenta um valor do recurso natural e do serviço ou produto resultante, de forma a tornar conhecido o impacto ambiental e assim permitir corrigir falhas, processos produtivos e criar políticas públicas de compensação das perdas.
 
Iniciativas como a da Dow Chemical ainda são isoladas, já que demandam alto investimento para o desenvolvimento de metodologia de cálculo – cerca de R$16,7 milhões no período de cinco anos, no caso da empresa norte-americana. Mas, esse é o melhor caminho para a sustentabilidade, de forma a induzir nas empresas o uso consciente dos recursos naturais e destinação dos resíduos.
 
Confira aqui outras informações sobre a valoração ambiental na reportagem de Carolina Gabardo, para o Jornal Gazeta do Povo.
 
 
 

 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.