20/04/2011

Artes visuais e Gazeta: a união que dá certo!

Ler e Pensar – De fotografia a prevenção contra a dengue, o uso do jornal em escola de Contenda trouxe criatividade, motivação e informação para alunos e comunidade

 
O ano já começou bem movimentado para a turma de 4º ano da Escola Municipal Professora Vanilda Dzierwa, que participa do Ler e Pensar desde 2004. Neste semestre a professora Silvia Aparecida Resner Kudlaviec decidiu utilizar o jornal em educação artística, desenvolvendo osconteúdos previstos para Artes Visuais com o tema transversal meio ambiente. O desafio parecia grande, mas os alunos manifestaram motivação desde as primeiras aulas.
 
Tudo começou com o estudo da profissão de retratista. A professora explorou com a turma as notícias da Gazeta do Povo, observando os tipos de imagens, suas cores, formas, sombra e profundidade. Nessa etapa, os alunos escolheram uma figura para reproduzi-la sob suas próprias penas. Usando apenas o lápis grafite e a borracha, era necessário ser criativo e ter estilo próprio. Em seguida, depois de trabalhar função social e tecnologia da imagem, os alunos chegaram a uma linha preferida de fotografia: o fotojornalismo. Contudo, foi preciso antes entender a estrutura do jornal para diferenciar os gêneros de informação: como manusear corretamente, quais são seus cadernos, o que cada um trata, quais as diferenças entre uma manchete e uma reportagem, o que é notícia…
 
E o meio ambiente?
“Com as últimas notícias em sala de aula, as crianças perceberam sozinhas que os jornais trazem muitos conteúdos sobre a dengue, sejam em imagens, dados, pesquisas ou notas: os questionamentos não demoraram a surgir, e por isso decidimos manter o tema da prevenção trabalhando a linguagem das Artes Visuais”, relata professora Silvia. Sabendo devidamente manusear um jornal e analisar o universo visual nele presente, a turma descobriu a gravidade da situação, e sentiu que tinha de fazer algo concreto. Mas o quê? 
 
Mobilização
A partir da constatação da realidade, veio a urgência de mobilizar a comunidade e levar essas informações para as famílias, amigos e a toda a escola. Foi desenvolvido um trabalho de produção de textos informativos, folders de campanhas, cartazes e faixas para anexar em pontos comerciais e em locais públicos. “Nós já desenvolvíamos um projeto de reciclagem na escola, mas nesse ano decidimos associar arte, jornal e meio ambiente. Os resultados já são percebidos por toda a equipe com comemoração: em casa, começaram a mudar de atitude por causa da leitura, e agora as crianças se sentem responsáveis por isso”, relata a diretora da escola, Maricler Kusma Gritten.
 
Continuação
O projeto ainda não terminou, e a equipe pedagógica ainda tem muito a desenvolver. Além disso, o assunto sempre poderá ser renovado com pesquisas e atualizações. “Ontem um aluno até me disse ’Professora, não se esqueça da nossa aula!” comemora a professora Silvia. “A experiência é tão rica e produtiva que eles motivaram o resto da escola”.
 
Agora, a turma está absorvida com o ensaio da peça teatral Xô Dengue, para apresentação na escola e na feira de conhecimentos ao final do segundo bimestre. Os próximos passos do projeto? Produzir uma paródia de conscientização sobre a dengue e elaborar uma história em desenhos, registrando todo o processo.
 
* Esta notícia foi publicada na edição nº 156 do Boletim de Leitura Orientada (BOLO), jornal quinzenal com sugestões para o uso pedagógico do jornal, direcionado aos professores participantes do projeto Ler e Pensar.
 
 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.