25/02/2011

União homoafetiva pode ser reconhecida pelo STF em 2011

Maior especialista no Brasil em direito homoafetivo tem grande expectativa em relação à validade jurídica das uniões homossexuais

A possibilidade de reconhecimento da união estável homoafetiva no Brasil teve o julgamento adiado no Superior Tribunal de Justiça (STJ), na última quarta-feira, 23, e não há previsão para a retomada do julgamento. Em entrevista à repórter Paola Carriel, para o Jornal Gazeta do Povo, a advogada e desembargadora aposentada, Maria Berenice Dias, maior especialista no assunto, afirma acreditar em uma decisão positiva dos ministros.
 
Ela é uma das responsáveis por mudar a jurisprudência para garantir que casais de pessoas do mesmo sexo possam adotar crianças, em abril do ano passado. Maria Berenice foi a primeira juíza do Rio Grande do Sul e ajudou a elaborar a Lei Maria da Penha. Também criou a expressão direito homoafetivo, que já foi incorporado em três dicionários, e o primeiro escritório especializado nesse atendimento.
 

Clique aqui para conferir a entrevista na íntegra, em que Maria Berenice fala sobre a sua atuação na causa homossexual e o panorama da Justiça brasileira em relação aos direitos homoafetivos.

 

 

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.